terça-feira, 22 de dezembro de 2009

NASCIMENTO DE ARTHUR VINÍCIUS.

Esse foi o nascimento do meu filho, Artur Vinicius, eu tive o prazer de filmar, foi uma das maiores emoções da minha vida. Ele nasceu um dia depois de outra emoção forte, no dia em que eu fui campeão brasileiro com o Flamengo. Ele já nasceu campeão (risos) ele é lindo igual à mãe e inteligente igual o pai.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

VENDE-SE UMA FAZENDA

FAZENDA TERRA VERDE. A Fazenda esta localizada no Município de Acrelândia no estado do Acre, o valor da propriedade é de R$ 250.000,00 (duzentos e cinqüenta mil reais) Acompanha Ainda 19 garrotas fêmeas, um cavalo e todos os moveis da casa que são: uma geladeira duplex, uma cama de casal com colchão, guarda-roupa de casal, sofá com três poltronas, fogão e mesa com quatro cadeiras, todos os moveis são novos comprados em 2009. Veja o vídeo e conheça a propriedade.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Candidato a pior gol contra da história

O Anderlecht venceu o Roeselare por 3 a 1, pelo Campeonato Belga, no último sábado. Entretanto, o que mereceu destaque no jogo foi o segundo gol dos donos da casa.
O goleiro do pequeno Roeselare, Jurgen Sierens, de 33 anos, se enrolou todo e protagonizou um dos piores gols contra da história do futebol. Tem gol contra pior?

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Brendha Haddad. Comercial Ridículo...

A jogada de Marketing do idealizador desse comercial foi boa, deu o que falar, mas para a Brendha Haddad foi péssima para a imagem dela, alguém precisa orientar melhor essa garota, ela tem um futuro brilhante pela frente, não precisa expor a imagem dela de maneira tão vulgar assim. EDUARDO MEU AMIGO, ORIENTA A TUA IRMÃ...

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Acaba em pancadaria lançamento de "Honoráveis Bandidos" em São Luís

Terminou em tumulto e pancadaria o lançamento do livro "Honoráveis Bandidos - Um retrato do Brasil na era Sarney", na sede do Sindicato dos Bancários, em São Luís (MA), na noite de última quarta-feira.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

ALEXANDRE - Braúlia Ribeiro

Conhecíamos Alexandre há mais de cinco anos. Chegou com 20 e poucos, com o cérebro já detonado pelo crack. Durante o curso de discipulado foi alcançando coerência, e, ao fim de seis meses, voltou à sua casa para fazer vestibular, ciente do que queria: ser piloto missionário. Terminou o ensino médio, inspirou o pai a estudar e fizeram vestibular juntos. O pai passou em direito -- Alexandre, ainda tratando de ser lúcido, não.
Vieram outras crises; a razão saía por uma fresta da janela, ficava uma algaravia religiosa indecifrável. Nas crises, ele nos visitava para longas conversas. Nunca foi mau o rapaz. Eu sempre lhe sabia gentil, apesar das incoerências. Meu marido tinha ouvidos para lhe decifrar as angústias no meio da verborragia. Aconselhava, ouvia.
Nos últimos meses, Alexandre começou a observar minha filha que se tornava menina moça e a notar-lhe a beleza florescendo. Ligava às três da manhã falando da menina que vira no balanço, de suas amiguinhas, do toque puro que lhe deu na perna, de como Deus ama os anjos. Meu instinto de mãe se põe de guarda. Aviso às coleguinhas e, quando Alexandre vem, eu o acompanho ao redor da floresta que circunda a comunidade.
Na terça-feira a bicicleta com adesivo Yokohama para na minha porta. Nesse dia Reinaldo está com pressa. Explica pro Alexandre:
-- Tô de saída. Tenho reunião com pastores na cidade.
O rapaz insiste, mais transtornado que nunca na esperança absurda que tem em Reinaldo.
-- Você é meu pai, meu pastor, eu preciso de você.
Reinaldo começa a se irritar. Explica que não dá. Alexandre implora.
-- Deixa eu voltar pra viver aqui com vocês.
-- Como? Você se droga, anda por aqui observando nossas crianças e me liga de madrugada falando nelas. Como posso confiar pra te deixar morar aqui?
-- Não vou fazer nada com elas, só quero ser como elas, nascer de novo numa família de Deus, Reinaldo. Eu quero ser de Deus e não sei como, será que elas me ajudam?
-- Hoje não posso. Tô atrasado demais. Olha, já fizemos tudo o que podíamos por você. Agora acabou.
-- Como acabou? Não acaba não, olha.
E mostrou um rolo de papel higiênico que tinha nas mãos.
Reinaldo se irritou com aquele rolo -- me contou depois --, mesmo assim segurou a ponta enquanto o menino desenrolava lentamente tirando de dentro uma Bíblia pequena amarfanhada, pra ler o Salmo 136.
-- Olha o que a Bíblia fala: “Rendei graças ao Senhor, porque seu amor dura para sempre”.
E assim foi lendo parado no sol quente ao lado do carro o Salmo todo enquanto Reinaldo tentava lhe dizer que estava atrasado, que era pastor, que conhecia a Bíblia, que voltasse depois ou nem isto.
Foi-se o pastor pra reunião e o garoto em desespero para a estrada quente de bicicleta. Reinaldo disse que ainda o viu quando voltava, pedalando, percebendo o carro, mas nem o parou de novo como seria seu costume. Virou o rosto como se dissesse: “Olhe, você, meu pastor, falhou, me trocou por uma reunião, não me ouviu, deixou que seu amor acabasse, sendo que o amor de Deus nunca acaba”.
Acabou também naquela tarde a história de Alexandre e sua busca por Deus. Na manhã seguinte sua irmã nos ligou, chamando para o velório. O rapaz se matou na tarde anterior nas rodas de uma carreta de carga depois de duas outras tentativas. Choramos eu e Reinaldo muitas lágrimas de angústia, desespero e culpa, e ainda choro enquanto escrevo isto. Por nós, e por todos os Alexandres da vida que encontram na rua os levitas e não os samaritanos.
• Bráulia Ribeiro, missionária em Porto Velho, RO, é autora de Chamado Radical. braulia.ribeiro@uol.com.br

FONTE: Editora Ultimato - formação e informação

E quantos Alexandres andam perdidos por aí?

Oremos por eles!

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

CIMI diz que Igreja Universal patrocina extermínio de índios

Uma revolução não tão silenciosa, mas que vem acontecendo longe dos olhos da opinião pública, levanta mais uma polêmica entre grupos Neo-petencostais e a Igreja Católica do Brasil. O primeiro, denunciando os missionários do Conselho Indígena Missionário (CIMI), órgão ligado ao Conselho Nacional de Bispos do Brasil (CNBB) e, o segundo, delatando o patrocínio a um verdadeiro extermínio das tribos indígenas do Acre e da Região Norte. Como tema central de discussões está o infanticídio. Há quem argumente que é parte da cultura indígena. Outros afirmam que o direito à vida, previsto no artigo 5º da Constituição, está acima de qualquer questão. O debate expõe a fraca política de apoio aos povos indígenas desenvolvida pelo Estado brasileiro e a política do Governo do Estado em apoio à homofobia.

A guerra fria envolve crianças indígenas que segundo a ONG Atini, recém-nascidas, são enterradas vivas, estranguladas ou simplesmente deixadas na mata para morrer. Para antropólogos do CIMI existe no debate conflito entre a ética universal e a moral de uma comunidade. "Esses caras são loucos, a antropologia deixou de ser uma ciência", disse o pastor Daniel, presidente da Jocum no Acre.

O Infanticídio - termo que parece título de filme americano - é reconhecido pelo CIMI como uma prática cultural de pequenas proporções e "em franco declínio", que segundo Lindomar Padilha, coordenador regional do órgão no Acre, ocorre quando existem problemas sérios como paralisia cerebral e outras anomalias, "realidade não mais tão presente na vida das tribos ocidentais", assegura.

A prática característica de povos como os Suruwahá, da região central da Amazônia, segundo o Conselho Missionário do Acre, encontram-se fragilizado por um aumento de suicídios, decorrentes de interferências irresponsáveis em sua cultura. A carta de princípios divulgada pelo CIMI diz que o infanticídio representa uma brecha para que o grupo Jocum [Jovens com uma missão] acusar o Estado brasileiro de omissão e, fazer lobby para aprovação de uma lei que garanta definitivamente seu evangelismo agressivo nas aldeias.

"É uma estratégia utilizada pelas Igrejas Neo-petencostais para eleger deputados estaduais, federais e senadores transformando os índios em bárbaros com atitudes concretas de "evangelismo agressivo", comentou Padilha. O coordenador citou como exemplo no Acre, os Katuquinas "que estavam vendendo madeira e animais silvestres para pagar dízimos à Igreja neo-petencostal", denunciou.

Por outro lado, a Atini [organização não governamental] insiste na discussão e afirma que "as denúncias são muitas, e a Funai e o CIMI ignoram suas vozes e são contra um projeto de lei que visa acabar com a prática". O projeto é de autoria do deputado federal Henrique Afonso (PV-AC), que recentemente foi punido pelo Partido dos Trabalhadores por defender os direitos da vida, migrando para o Partido Verde, da senadora Marina Silva com a garantia de mudanças de paradigmas no estatuto da sigla verde. A lei [Muwaji] foi criada para combater o infanticídio e proteger os direitos fundamentais das crianças.

"Entre os missionários do CIMI, uma nova religião está sendo promovida,defendendo o paganismo, a superstição, a barbárie e o infanticídio como se fossem expressões culturais autênticas e dignas de um missionário cristão", diz a ONG.
Livro reascende polêmica
O lançamento do livro: Infanticídio Indígena - a Tragédia silenciada, da lavra de Raymonde de Souza, reascende as discussões em torno das metodologias utilizadas pelas Igrejas. Se por um lado, o CIMI argumenta que a conscientização requer uma pedagogia a médio e longo prazo, por outro, o órgão ligado a Igreja Católica acusa os neo-petencostais de "extermínio da cultura indígena".

O livro termina com um apelo ao papa Bento XVI pedindo sua intervenção junto aos bispos do Brasil a fim de que ajam em conjunto para acabar de uma vez por todas com esse crime que brada aos céus: "o assassinato de crianças recém-nascidas, sob o olhar cúmplice do Conselho Indigenista Missionário da Igreja Católica no Brasil". O bispo Dom Joaquim Pertiñez ficou de enviar através de e-mail, sua opinião sobre o que os neo-petencostais chamam de nova filosofia neo-pagã.
Padilha, o coordenador regional do CIMI, disse que a nova manifestação da ONG provoca a citação e a incitação da sociedade contra o trabalho do conselho e das tribos indígenas. Ele teme que com a campanha deflagrada pela neo-colonização, "o índio fique cada vez mais marginalizado pela sociedade".

"Vamos entrar com mais uma representação junto à 6ª Câmara Federal em Brasília, onde essa organização já responde dois processos por falsificação de documentos", acrescentou.

De forma dura, Padilha conclui a entrevista afirmando que existe um plano de destruição da floresta amazônica, patrocinado por grandes empresários infiltrados nos grupos petencostais com interesses na madeira, no petróleo e nas riquezas naturais das tribos indígenas do Acre e da Região Norte.

"É semelhante ao que acontece com o MST, financiados por multinacionais esses grupos com a desculpa de salvar almas de crianças que consideram perdidas, arriscam por suas intervenções perder centenas de vidas de um povo e reforçam o preconceito contra o índio selvagem. Com certeza, a Igreja Universal e todas as siglas proliferadas ao longo dos tempos estão por trás desse extermínio", concluiu.

Jocum diz que "a Igreja Católica tem poder político atrelado ao Governo"

Para o presidente da Jocum no Acre, o pastor Daniel Batistelo, a Igreja Católica atrelada ao Governo do Estado é quem incentiva o infanticídio. O pastor assegurou que a Igreja Evangélica jamais mudará seu posicionamento para agradar a grupos políticos.

"O PT incentiva o infanticídio e a homofobia no Acre, atrelados a Igreja Católica são favoráveis a mortalidade infantil e ainda perseguem quem se posiciona contrário a esse pensamento", acrescentou Batistelo.

Com a experiência de 15 anos de evangelização nas tribos Banawá, no Amazonas, o pastor diz que a Jocum faz um trabalho em favor da vida e da família. Ele critica o trabalho dos antropólogos, "uma ciência que deixou de existir".

"Quando chegamos nos Banawás, a mortalidade infantil era de 50%, a cada duas crianças duas morriam. Hoje é zero. Não tiramos os índios de suas terras, pelo contrário, evangelizamos os índios na língua deles e depois em português e pacificamos as brigas provocadas pelo CIMI com ribeirinhos", relatou o pastor.

O pastor fez um verdadeiro desabafo. Disse que a Jocum vem fazendo o papel de governo não apenas no combate a mortalidade infantil, "mas com relação às drogas cuidando de mulheres viciadas, no combate a homofobia resgatando os gays das esquinas e convertendo-os para Jesus. O Governo do Estado tem dinheiro mas não sabe como fazer", denuncia ele.

Crise extirpa a vulnerabilidade do índio acreano

Enquanto petencostais e neo-petencostais discutem metodologias, a crise extirpa uma situação vulnerável que a pouco a sociedade não conhecia. É o que o CIMI chama de infanticídio estrutural que mata mais do que o próprio Infanticídio cultural, expondo uma situação de miséria pelo abandono as políticas dos povos indígenas.

Os índios acreanos e brasileiros morrem mais por diarréia e desnutrição do que qualquer discussão religiosa. Em recente relatório o conselho protesta afirmando que "enquanto essa discussão acontece, vemos a grave situação de saúde a que estão submetidos muitos povos indígenas, com quadros de endemias de hepatite, malária, tuberculose e outras doenças que se alastram de maneira assustadora"

Para o CIMI, Isso mostra claramente a inadequação do modelo de assistência terceirizado e centrado na Funasa. O órgão acusa o Estado de excluir os povos indígenas, destinatários de tais políticas das definições mais importantes, que urgentemente precisam ser assumidas.

Em 2004, o governo brasileiro promulgou, por meio de decreto presidencial, a Convenção 169 da OIT (Organização Internacional do Trabalho), que determina que os povos indígenas e tribais "deverão ter o direito de conservar seus costumes e instituições próprias, desde que não sejam incompatíveis com os direitos fundamentais definidos pelo sistema jurídico nacional nem com os direitos humanos internacionalmente reconhecidos".

ac24horas foi muito bem atendido pelo administrador da Funai, Djalma Porto, este porém, preferiu não gravar entrevista, por acreditar ser um tema extremamente difícil de ser discutido. "Não quero cometer nenhuma injustiça", disse ele. Porto não descartou a existência do infanticídio nas tribos isoladas.

O caso já foi denunciado ao Ministério Público Federal de Brasília.

A Lei Muwaji - A Lei Muwaji, como é chamada em homenagem à índia que enfrentou a tribo para salvar sua filha com paralisia cerebral - caso que inspirou a criação da Atini - estabelece que "qualquer pessoa" que saiba de casos de uma criança em situação de risco e não informe às autoridades responderá por crime de omissão de socorro. A pena vai de um a seis meses de detenção ou multa.

Jairo Carioca - Da redação de ac24horas
js.carioca@hotmail.comEste endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email
Rio Branco, Acre

terça-feira, 13 de outubro de 2009

PRODUÇÃO PRONAF ACRELÂNDIA

O setor produtivo de Acrelândia esta recebendo investimentos de quase seis milhões de reais do programa nacional de fortalecimento da agricultura familiar, o PRONAF, para o custeio de grãos, mandioca e investimentos na bacia leiteira.

FIM DA ESCOLA PARA SERINGUEIROS EM ACRELÂNDIA

Um projeto ganhador de vários prêmios em Acrelândia que visa à educação dos filhos de seringueiros está vivendo os últimos meses, segundo os professores e alunos o fim do projeto foi anunciado pela coordenação da secretaria de educação municipal, os alunos que fazem parte do projeto se revoltaram com a noticia.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Bola amazônica

Em um Brasil ainda desconhecido, 800 jogadores divididos em 62 times disputam o maior evento futebolístico do Acre, na cidade de Sena Madureira, a 140 km da capital Rio Branco.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

COTÔCO CULTURAL

O secretário estadual Daniel Zen é um homem muito preocupado coma ltura
acreana, ele sabe, sabe muito bem onde deve meter o dedo.

Esta é a foto oficial de encerramento do congresso fora do Eixo. Como ja foi antecipado pelo secretario de cultura do estado Daniel Zen, o evento foi muito produtivo. Os jovens mostram na foto como eles são preocupados com a cultura.

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Pós-graduação em gestão publica

O tribunal de contas do estado está realizando um curso de pós-graduação em gestão publica em parceria com a prefeitura de Acrelândia, os alunos que participam do curso reclamam da falta de estrutura para a realização das aulas.

Acadêmicos do curso de economia do núcleo de Acrelândia reclamam da falta de professor

Acadêmicos do curso de economia do núcleo de Acrelândia reclamam da falta de professor, segundo eles a falta de estrutura oferecida pela a UFAC aos acadêmicos do município deixa a desejar.

Promor de justiça de Acrelândia proibe a venda do leite in natura na cidade

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Honduras: um menino contra o golpe

Neste impressionante video o discurso do menino Oscar David Montesinos diante de uma multidão. O menino toma a palavra corajosamente para desafiar e conclamar o povo a derrubar o governo golpista

sábado, 26 de setembro de 2009

O secretário estadual Daniel Zen é um homem muito preocupado com a ltura acreana, ele sabe, sabe muito bem onde deve meter o dedo.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Fábio assunção da uma entrevista corajosa para o Fantástico

Após 10 meses de afastamento, Fábio Assunção volta a gravar para a TV
Em entrevista ao Fantástico, ele fala sobre sua dependência química.
Ator, que tem 12 novelas no currículo, retorna na série 'Dalva e Herivelto'

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

CARLOS MINC, MACONHEIRO SEM VERGONHA.

Ministro Carlos Minc defende a descriminalização em show da tribo de Jah. ah, e o meio ambiente também.

Domingo, 6, na Chapada dos Veadeiros, o ministro Carlos Minc dança e canta pedindo ao público para dar as mãos... Defendendo a descriminalização da maconha durante show feito pela banda Tribo de Jah

terça-feira, 8 de setembro de 2009

FESTIVAL DE PRAIA DE PLÁCIDO DE CASTRO

O Festival de praia de Plácido de Castro foi prestigiado por mais de 20 mil pessoas, o evento já é uma tradição no município.

PREFEITURA DE ACRELÂNDIA DEMITE FUNCIONÁRIOS

A prefeitura de Acrelândia demitiu quase trinta 30% dos funcionários que foram contratados provisoriamente no inicio do ano para trabalhar nas escolas da rede municipal de ensino e também cortou vantagens dos professores de carreira.

CRIME AMBIENTAL

A policia militar de Acrelândia e o exercito brasileiro realizaram uma operação no rio Abuna para coibir crime ambiental, na ocasião foram aprendidos motoserras e ovos de tracajás que é proibido a captura nessa época do ano por estar no período de desova.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

BRASILEIROS NA BOLÍVIA

Produtores rurais brasileiros que residem em terras bolivianas na fronteira com o município de plácido de castro são obrigados a deixar a área por determinação do governo boliviano. A principal preocupação é que eles podem não ser indenizados pelas benfeitorias feitas nas terras, ocupadas há décadas.

FESTIVAL DE PRAIA DE BOCA DO ACRE

Nesta época do ano em Boca do Acre o festival de praia é a maior atração turística da cidade.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

ESTRADA DE BOCA DO ACRE

A população de Boca do Acre comemora a liberação do licenciamento ambiental para as obras da BR-317 que liga o município Amazonense ao Acre.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

MISTÉRIO EM BOCA DO ACRE

EM BOCA DO ACRE A POPULAÇÃO ESTÁ PREOCUPADA COM UM FORTE CLARÃO ACOMPANHADODE UMA EXPLOSÃO QUE APARECEU NA NOITE DE TERÇA FEIRA NA CIDADE, SEGUNDO ELES, TERIA SIDO A QUEDA DE UM AVIÃO, MAS APESAR DAS BUSCAS, ATÉ AGORA NADA FOI ENCONTRADO.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

UMA SILVA SUCESSORA DE UM SILVA?

Leonardo Boff

Não estou ligado a nenhum partido, pois para mim partido é parte. Eu como intelectual me interesso pelo todo embora, concretamente, saiba que o todo passa pela parte. Tal posição me confere a iberdade de emitir opiniões pessoais e descompromissadas com os partidos.
De forma antecipada se lançou a disputa: Quem será o sucessor do carismático presidente Luiz Inácio Lula da Silva?

De antemão afirmo que a eleição de Lula é uma conquista do povo brasileiro, principalmente daqueles que foram sempre colocados à margem do poder. Ele introduziu uma ruptura histórica como novo sujeito político e isso parece ser sem retorno. Não conseguiu escapar da lógica macro-econômica que privilegia o capital e mantém as bases que permitem a acumulação das classes opulentas. Mas introduziu uma transição de um estado privatista e neoliberal para um governo republicano e social que confere centralidade à coisa pública (res publica), o que tem beneficiado vários milhões de pessoas. Tarefa primeira de um governante é cuidar da vida de seu povo e isso Lula o fez sem nunca trair suas origens de sobrevivente da grande tribulação brasileira.
Depois de oito anos de governo se lança a questão que seguramente interessa à cidadania e não só ao PT: quem será seu sucessor? Para responder a esta questão precisamos ganhar altura e dar-nos conta das mudanças ocorridas no Brasil e no mundo. Em oito anos muita coisa mudou. O PT foi submetido a duras provas e importa reconhecer que nem sempre esteve à altura do momento e às bases que o sustentam. Estamos ainda esperando uma vigorosa autocrítica interna a propósito de presumido “mensalação”. Nós cidadãos não perdoamos esta falta de transparência e de coragem cívica e ética.

Em grande parte, o PT virou um partido eleitoreiro, interessado em ganhar eleições em todos os níveis. Para isso se obrigou a fazer coligações muito questionáveis, em alguns casos, com a parte mais podre dos partidos, em nome da governabilidade que, não raro, se colocou acima da ética e dos propósitos fundadores do PT.
Há uma ilusão que o PT deve romper: imaginar-se a realização do sonho e da utopia do povo brasileiro. Seria rebaixar o povo, pois este não se contenta com pequenos sonhos e utopias de horizonte tacanho. Eu que circulo, em função de meu trabalho, pelas bases da sociedade vejo que se esvaziou a discussão sobre “que Brasil queremos”, discussão que animou por decênios o imaginário popular. Houve uma inegável despolitização em razão de o PT ter ocupado o poder. Fez o que pôde quando podia ter feito mais, especialmente com referência à reforma agrária e à inclusão estratégica (e não meramente pontual) da ecologia.
Quer dizer, o sucessor não pode se contentar de fazer mais do mesmo. Importa introduzir mudanças. E a grande mudança na realidade e na consciência da humanidade é o fato de que a Terra já mudou. A roda do aquecimento global não pode mais ser parada, apenas retardada em sua velocidade. A partir de 23 de setembro de 2008 sabemos que a Terra como conjunto de ecosissitemas com seus recursos e serviços já se tornou insustentável porque o consumo humano, especialmente dos ricos que esbanjam, já psssou em 40% de sua capacidade de reposição.

Esta conjuntura que, se não for tomada a sério, pode levar nos próximos decênios a uma tragédia ecológicohumanitária de proporções inimagináveis e, até pelo final do século, ao desaparecimento da espécie humana. Cabe reconhecer que o PT não incorporou a dimensão ecológica no cerne de seu projeto político. E o Brasil será decisivo para o equilíbrio do planeta e para o futuro da vida.
Qual é a pessoa com carisma, com base popular, ligada aos fundamentos do PT e que se fez ícone da causa ecológica? É uma mulher, seringueira, da Igreja da libertação e amazônica. Ela também é uma Silva, como Lula. Seu nome é Marina Osmarina Silva.

Leonardo Boff é teólogo e escreve no Jornal do Brasil.

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

BOAS PRATICAS DA FARINHA

Produtores rurais em Acrelândia recebem treinamento de como realizar o melhor aproveitamento da mandioca e os seus derivados.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Em Acrelândia foi inaugurada uma casa de farinha, a agro indústria ira fortalecer a economia rural dos produtores do projeto Orion.

Marina Silva já fala como candidata do PV à Presidência

A senadora Marina Silva (PT-AC) já fala como candidata do PV à Presidência. Embora não tenha dado a resposta definitiva ao convite dos verdes para disputar a sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no ano que vem, suas declarações deixam claro que o PT, no qual milita há 30 anos, já é parte do passado. E seu plano agora é abraçar as novas utopias. "Estou com 50 anos e é isso que me leva a essa (nova) discussão. Nós precisamos ter novos mantenedores de sonhos e de utopias."

No Palácio do Planalto já é dada como certa a saída de Marina. Lula acha que a ex-ministra deixará mesmo o PT. Não pretende procurá-la, porque acha que pode ouvir um "não". Desde que Marina deixou o Ministério do Meio Ambiente, em 13 de maio de 2008, os dois estão cada vez mais distantes. A presença de Marina numa cerimônia no Planalto, no ano passado, chegou a ser constrangedora, visto que ela não sorriu em resposta a nenhuma das brincadeiras feitas por Lula. E, nos últimos meses, a distância só aumentou.

Marina opôs-se à aprovação da medida provisória que regularizou terras da A senadora afirma que está vivendo um sério momento de reflexão e não teme nem mesmo uma punição partidária, como a possibilidade de o PT invocar a fidelidade partidária e lhe tomar o mandato, caso vá para o PV. "Meu mandato é uma honra tê-lo recebido do povo acreano. E eu o tenho honrado até hoje. Mas não será o medo da perda do mandato que me fará desistir de qualquer coisa que acredito ou defendo. Quando você fala de algo com a magnitude que estou fazendo, o cálculo político (da manutenção do mandato) apequena o debate."

Outro indicativo da disposição de Marina de mudar de partido está na resposta que deu à ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, virtual candidata a presidente pelo PT. No sábado, Dilma fez um apelo para que Marina não saia do partido. "Fiquei sabendo que ela fez um apelo e, ao mesmo tempo, disse que me entende. Afinal, ela saiu do PDT para ir para o PT e sabe como é isso", respondeu Marina. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Ritual alucinógeno volta a ser celebrado depois de 40 anos

O Fantástico acompanha, na Amazônia, o batizado de um indiozinho. Na cerimônia, a tribo promove um ritual alucinógeno para chamar os espíritos da floresta.

CRISE NO COMÉRCIO DE ACRELÂNDIA

Em Acrelândia os comerciantes reclamam da crise financeira no comercio local.

FORMAÇÃO TECNICA PARA PRODUTORES

O governo do estado em parceria com o INCRA ira oferecer um curso de formação tecnica para trabalhadores rurais por meio do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

POLICIAIS RODOVIÁRIOS FEDERAIS ENTRAM EM CONFRONTO COM MANIFESTANTES PARA TENTAR DESBLOQUEAR A BR-364, NA DIVISA DO ACRE COM RONDÔNIA..

NA NOITE DO DIA CINCO DE AGOSTO, POLICIAIS RODOVIÁRIOS FEDERAIS TENTARAM REALIZAR OS DESBLOQUEIO DA ESTRADA E HOUVE CONFLITO./ OS AGENTES FIZERAM DISPAROS COM BALAS DE BORRACHA E JOGARAM BOMBAS DE EFEITO MORAL./ OS MORADORES REVIDARAM COM PEDRAS./ PELO MENOS CINCO PESSOAS FICARAM FERIDAS. ENTRE ELAS DOIS POLICIAIS./

segunda-feira, 27 de julho de 2009

PRODUTORES RURAIS DE ACRELÂNDIA SÃO ABANDONADOS PELO INCRA E PELA PREFEITURA

Longe dos olhos do governo da floresta Produtores rurais que residem em uma área de assentamento no projeto Porto Luiz 1, no município de Acrelândia convivem com a falta de estrutura para escoar a produção e garantia de uma melhor qualidade de vida...

quarta-feira, 22 de julho de 2009

APAGÃO DE ENERGIA ELÉRICA EM ACRELÂNDIA

Em Acrelândia a população reclama da constante queda de energia elétrica na cidade.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

BR 364 BURACOS

Na BR 364 que liga Rio Branco ao estado de Rondônia o excesso de buracos na estrada exige atenção dobrada dos motoristas.

quinta-feira, 16 de julho de 2009

FEIJÃO MECANIZADO EM PLÁCIDO

Em plácido de castro produtores rurais são beneficiados com a mecanização agrícola. O destaque na região é a produção de feijão.

terça-feira, 14 de julho de 2009

LIXÃO DE ACRELÂNDIA

Em acrelândia uma área usada para despejar o lixo da cidade, corre o risco de sofrer sérios danos ambientais e a saúde publica. O local é constante mente freqüentado por crianças.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

VEJA A SÉRIE DE REPORTAGEM SOBRE A FRAGILIDADE NAS REGIÕES DE FRONTEIRA DO ACRE

FRONTEIRA ACRELÂNDIA

A fragilidade na fiscalização de fronteira dos municípios de Plácido de Castro e Acrelândia é uma realidade, em Acrelândia, por exemplo, existem cinco ramais que dão acesso direto ao País vizinho a Bolívia, segundo a policia civil e militar do município isso justifica o alto índice de veículos roubados e o grande consumo de drogas na região.

FRONTEIRA PLÁCIDO DE CASTRO

No município de plácido de castro na fronteira com a Bolívia, não existe fiscalização. O tráfico de drogas e o contrabando acontecem com facilidade.

FRONTEIRA BRASILÉIA, EPITACIOLÂNDIA, ASSIS BRASIL.

Na região do alto acre, três municípios estão na região de fronteira, e novamente a falta de pessoal e estrutura facilita a ação dos traficantes.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

UM ÓTIMO LIVRO PARA QUEM É AMANTE DA LEITURA

A matéria prima de O Santo de Deus é o fanatismo religioso provocado pelo isolamento de uma comunidade perdida no interior da Floresta Amazônica. Seres esquecidos à própria sorte que encontraram nas promessas do "Paraíso" uma saída para o sofrimento cotidiano. Eles acabam trilhando um atalho perigoso a caminho do Céu e, cometendo uma espécie de suicídio coletivo. Mesmo porque aqueles que não morreram das torturas físicas serão eternos torturados nos seus espíritos. Aliás, o assunto deveria servir de alerta para que as pessoas não usem a religião como fuga. Quando tudo vai mal a única solução é Deus. Não é bem assim. O conhecimento espiritual é um caminho de autoconhecimento para a elevação de cada um.A obra é uma reportagem que vai além dos fatos e tenta perscrutar a alma humana forjada na solidão e no abandono dos seringais acreanos que entraram em decadência depois do esplendor da borracha. Tem alguns momentos da leitura que não sabemos se o autor fala de gente ou de bestas irracionais. Mas é aí que aparece um elemento instigante. Como ribeirinhos analfabetos chegaram ao ponto de dominar as palavras da Bíblia? Essa é a questão que o escritor trabalha com uma sagacidade única de quem teve intimidade com as Escrituras Sagradas, na juventude e, deve ter gestado muitas dúvidas interpretativas dentro de si.De repente, Moisés Diniz, se vê diante de fatos macabros gerados pela exacerbação mística na sua própria terra. Como garimpeiro da alma dedica-se dez anos para encontrar explicações e vencer a jornada literária em direção de uma das possíveis verdades. O escritor entrevistou durante esse tempo os atores do macabro espetáculo de Lavras em busca de soluções satisfatórias. O resultado é uma obra bem escrita com uma linguagem mística, reflexiva e misericordiosa. O Santo de Deus não condena ninguém ao inferno, mas fala de pessoas que já nasceram condenadas pelo isolamento e o abandono social. Como dizia o escritor francês Jean Paul Sartre, "o inferno são os outros".O Santo de Deus é um registro definitivo de uma história que muitos queriam que fosse esquecida. Um alerta dos estragos que o fanatismo religioso pode causar às comunidades nativas. Infelizmente a história contada pelo escritor continua a acontecer a cada vez que um missionário cristão prega a culpa numa aldeia indígena. Quando um pseudo-pastor, no Juruá, vai à casa dos católicos xingá-los e ofendê-los como adoradores de imagem, ou no momento em que um político pretensioso se diz guiado diretamente por Deus nas suas decisões. Um atentado moralista ao livre-arbítrio, como o descrito no livro, pode estar prestes a acontecer na periferia de Rio Branco ou de qualquer outra cidade do Acre. Basta, algum pseudo-guia espiritual mal intencionado, de qualquer religião, se dizer o "dono da verdade" e manipulá-la de acordo com os seus interesses pessoais.O Santo de Deus é, portanto, uma literatura viva e atual. Agora, os verdadeiros políticos preocupados com o bem-estar social, precisam dotar a sociedade de instrumentos de inclusão para impedir que massacres como o de Lavras nunca mais se repitam em terras acreanas.

LIVRARIA BETEL
RUA GUIOMARD SANTOS, 348
BOSQUE, CEP: 69909-370
RIO BRANCO - ACRE
(68) 3224-8758

quinta-feira, 25 de junho de 2009

VEJA A RESPOSTA DO CAPITÃO ASSUNÇÃO

Mourão defende Binho e manda deputado respeitar o Acre

“Os qualificativos que Vossa Excelência dirigiu ao comandante da PM do Acre são impublicáveis, irresponsáveis. Por isso, ilustre parlamentar, quero dizer aqui do plenário da Casa: ponha-se no seu lugar!”.

“Cuide do seu Estado, do Acre cuidamos nós. Vossa Excelência entrou nessa história como Pilatos entrou no credo, ouvindo o galo cantar sem saber aonde e tratando o nosso governador de bandido. Vossa Excelência é um suplente de deputado federal que assumiu o mandato circunstancialmente. Está utilizando a tribuna da Casa de modo amador. Não permitiremos em momento algum que Vossa Excelência se dirija ao povo do Acre, ao governador do meu Estado, com as palavras que dirigiu. Respeite!”, disse Nilson Mourão

Ao finalizar seu pronunciamento, Nilson Mourão destacou que nem mesmo a oposição se aventurou em defender os policiais que cometeram indisciplina e desrespeitaram as instituições.

“Não vamos chamá-lo de bandido. Se Vossa Excelência tem esse tipo de prática em seu passado, de mentir ao povo, de destratar as pessoas, de utilizar a patente para cometer ilícito, lá no Acre, não. Nosso governador é respeitado, é um homem sério e íntegro. No Acre tem parlamentar sério e de vergonha, tem um governador respeitado. Respeite o Acre, deputado, se quiser ser respeitado. É por isso que o povo do Espírito Santo não lhe elegeu, Vossa Excelência assumiu como suplente. Respeite o Acre”, finalizou Mourão.VEJA O VIDEO.


segunda-feira, 22 de junho de 2009

Deputado federal diz na tribuna do Congresso que Binho Marques e Romário Célio “são dois bandidos”

“Quero deixar registrado o meu protesto contra o governador do Acre, Binho Marques, e seu lambedor de botas, coronel Romário Célio, que vêm prendendo de forma arbitrária as pessoas e tratando-os como bandidos de alta periculosidade, taxando da mesma forma também os familiares dos militares estaduais. Parabéns ao militares estaduais, vocês não são bandidos, bandidos aí nesse Estado só tem dois, é o Binho Marques e o coronel Célio”, disse o deputado em Brasília no parlamento. VEJA O VIDEO.

O HOMEM QUE CAIU NO BURACO.



O buraco pode ser interpretado de varias formas uma divida, um vício, uma depressão, ect... Seja qual forem às circunstâncias capas de levar o homem para o fundo do poço, só Jesus é capaz de descer até onde se encontra o pecador e resgata-lo, sem questionamento, sem querer saber os motivos que o levou para aquele buraco.

Jesus se desfez de toda a sua glória, se tornou homem, sentiu as nossas dores e resgatou a humanidade, é só essa a verdadeira e única fonte de salvação. Jesus Cristo.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

NÃO É NECESSÁRIO VER O VÍDEO....É MUITO FORTE!! POR FAVOR, ASSINEM E ENCAMINHEM!

Com uma câmera escondida filmaram animais sendo retirada a pele todos ainda vivos, dizem que é para permitir um corte limpo, depois as carcaças são jogadas em pilhas ainda vivos e por mais ou menos 10 minutos o coração bate e olhos piscam e as patas dos cachorrinhos tremem, teve um que levantou a cabeça e fixou OS olhos ensanguentados direto para câmera. Se não quiserem ver o vídeo ao menos assinem a petição, precisamos agir.

O vídeo que se segue é de uma violência dolorosa. Os seus silêncios atingem fundo cada um de nós. Protegendo OS animais tornamo-nos maiores. O planeta não é nosso, apenas o dividimos entre todos...
Por favor, ganha uns minutos do teu tempo e assina esta petição!
Faz também chegar esta mensagem a quem consideres poder ser sensível a esta causa.
Cuidado ao ver o vídeo, é mesmo muito violento.

Não é necessário ver o vídeo para assinar esta petição. Escreve o teu
Nome e sobrenome, cidade e país no fim20DA lista e envia para OS teus Contatos.

http://www.petatv. com/tvpopup/ video.asp? video=fur_ farm&Player=wm&speed=med

Quando a lista chegar às 500 assinaturas, por favor envia para: PETA2@peta.org


Pledge to go fur-free at PETA.org.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Com golpe certeiro, Obama mata mosca durante entrevista à TV

Barack Obama mostrou uma inesperada – e curiosa - habilidade durante entrevista a John Harwood, da rede de TV CNBC.

O presidente dos Estados Unidos se incomodou com o zumbido de uma mosca, e, provando que está em forma, desferiu um golpe certeiro no pequeno inseto, que caiu morto ao seu lado. Depois, ele até se orgulhou de derrubar o 'inimigo voador'. “Não foi impressionante isso? Matei o bicho. Quer filmar? Está bem ali”, apontou.


segunda-feira, 15 de junho de 2009

ESTELIONATARIO DE ACRELANDIA

Um estelionatário aplica golpe em mais de 50 pessoas em Rio Branco e no interior do estado.

quarta-feira, 10 de junho de 2009

TRIO SERTANEJO DE ACRELÂNDIA ACRE

No campo é lugar de muito trabalho, todo o esforço é para aumentar a produção e aquecer a renda familiar, mas em Acrelândia três jovens conciliam as atividades do dia a dia na roça com um talento musical.



O sonho dos três irmãos é de serem selecionados para o quadro olha a minha banda do programa Caldeirão do Huck. Os jovens já estão no site do programa esperando serem votados. No site eles estão como trio sertanejo do Acre. Entre lá e vote.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Borracha está entre produtos com preço mínimo fixado pelo governo federal

A partir do ano passado, vários produtos extrativos passaram a ter um preço mínimo estabelecido pelo governo federal. Esse é o caso da borracha, que está beneficiando os seringueiros do Acre.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

VEJA TODAS AS REPORTAGENS DA SÉRIE OS EVANGÉLICOS DO BRASIL

Missionários traduzem a Bíblia para índios no MS

SP: metodistas salvam almas nos subterrâneos

No bairro da Liberdade, uma porta aberta para dentro de um viaduto se transformou numa saída, numa chance para quem não tem mais nada.

Batistas e adventistas ajudam crianças pobres

Os Batistas são hoje no Brasil 1,5 milhão de fiéis, que frequentam cultos em 7,5 mil templos. Conheça a Associação Evangélica Resgate e Ame, que ajuda crianças de rua a ter um futuro.

A atuação dos luteranos no Rio Grande do Sul

A principal característica da Igreja Luterana é acreditar que a salvação vem apenas pela fé e não como resultado de obras e boas ações. Mas isso não impede a forte ação social no sul do Brasil.


segunda-feira, 25 de maio de 2009

SUSAN BOYLE ARRASA NOVAMENTE

Susan Boyle não decepcionou os fãs que aguardaram a segunda apresentação da artista no reality Britain's Got Talent. Com um vestido marrom escuro e cabelos devidamente escovados, a escocesa soube escolher uma música que valorizasse sua voz: brilhou, desta vez, com Moon Light, do show da Broadway Cats.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

MINISTRO JOAQUIM BARBOSA - DIZ O QUE O POVO TEM VONTADO DE DIZER

"vossa excelência está destruindo a credibilidade do Judiciário brasileiro".

- Vossa excelência quando se dirige a mim não está falando com os seus capangas do Mato Grosso, ministro Gilmar. Respeite.

domingo, 19 de abril de 2009

ARCA DAS LETRAS

A secretaria Elias Mansour, desenvolve um programa em parceria com a secretaria de desenvolvimento agrário, intitulado Arca das letras o programa vem incentivar a leitura na zona rural. O projeto Arca das letras promove o acesso aos livros e incentiva a literatura por meio da implantação de bibliotecas em comunidades rurais. O projeto já existe desde 2003, no Acre o programa começou a ser implantado a partir de 2005. A meta é de implantar trezentos pontos de leituras em todo o estado. Hoje existem apenas cem pontos em atividade. Os pontos de leitura são localizados em regiões de difícil acesso, aqui em Acrelândia foram implantados três pontos. VEJA O VIDEO.

domingo, 5 de abril de 2009

Desfiliação coletiva no PT de Acrelândia em andamento

Segundo uma fonte ligada diretamente ao diretório municipal do Partido dos Trabalhadores de Acrelândia, a insatisfação com o resultado da cassação do mandato do ex-prefeito do município Vilseu Ferreira pelo Tribunal Superior Eleitoral, acusado de comprar votos nas últimas eleições, gerou um descontentamento com a direção estadual. Segundo a fonte, no município tem mais de 150 filiados descontentes com a postura tomada pelo diretório estadual. Para eles, o diretório não deu a atenção devida ao caso, mesmo tendo o cargo de vice-prefeito na chapa com Vilseu Ferreira. Os 150 petistas de Acrelândia estão mobilizando uma desfiliação coletiva no município em protesto a essa frieza da regional do partido com os aliados do município.


Segundo os petistas de Acrelândia o clima na Frente Popular do município é de traição por parte do diretório estadual. O que se comenta na cidade pelos insatisfeitos com o resultado é que o ex-governador Jorge Viana e o deputado federal Fernando Melo estão por trás desse resultado, usando de influencia junto aos desembargadores e juízes. Segundo membros do diretório municipal do PT, essa informação teria partido do próprio vice-governador do Estado, César Messias que é do partido do prefeito cassado, o PP.

terça-feira, 3 de março de 2009

Brasil dos excluídos: cidadãos sofrem com falta de infraestrutura

Somos pobres, excluídos jamais!

A reportagem do “Fantástico”, do último domingo, situando os municípios de Jordão e Tarauacá, no interior do Acre, a Manari, em Pernambuco, e Traipu, em Alagoas, como os piores lugares do país em Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), um engenhoca criada pelos tecnocratas da ONU (Organização das Nações Unidas) para aferir a qualidade de vida ao redor do mundo, embora bem feita do ponto de vista plástico, carece de exatidão – pelo menos no que diz respeito à Amazônia. Membros dos partidos e dos grupos de oposição ao Governo do Estado, terão, a partir de hoje, um palanque e uma bandeira para tentarem chamar a atenção do eleitor que vem, a cada eleição, lhes minguando os votos exatamente por entenderem que estes senhores não estão à altura do debate que o Acre precisa. Mas, antes que eles usem literalmente a miséria alheia para o costumeiro proselitismo, quero chamar a atenção para alguns pontos. Vamos lá.

O mesmo erro – a meu ver – já havia sido cometido, em 2000, em relação a Marechal Taumaturgo, no Alto Juruá, também interior do Acre, quando os mesmos índices estabeleceram o município (não levaram em conta a Faixa de Gaza, os feticídios na Índia, para ficar só nestes dois exemplos) como o pior lugar do mundo para uma criança nascer, considerando, por exemplo, a falta de creches, entre outras coisas.

Como no caso de Marechal Taumaturgo de quase uma década atrás, o repórter do Fantástico errou nos seus critérios de avaliação em relação a Jordão ao estabelecer que as crianças do município não seriam totalmente felizes por nunca terem visto, por exemplo, um chuchu ou por nunca terem tomado banho de chuveiro. O jornalista bebeu nas águas impuras da tabela de quesito elaborado por algum tecnocrata da ONU. Afinal, só um desses engravatados que não conhecem o mundo senão a partir de relatórios e de números elaborados a partir dos manuais por eles mesmos construídos, não sabem que, num município como Jordão ou mesmo Marechal Taumaturgo e em outras regiões com as mesmas características, menino algum seria feliz internado numa creche. Aliás, para quê creches se esses meninos tem o maior e mais belo parque de diversão do mundo? Sim, são meninos que, como eu, nascido em seringal, apesar dos riscos da vida na floresta, tem à sua disposição um imenso quintal, um autêntico jardim de Deus, a Amazônia. Com o mundo a seus pés, internar um menino daquela região numa creche seria, isso sim, condená-lo à morte.

O que tais reportagens não levam em consideração é que tanto em Jordão como em Marechal Taumaturgo e outros municípios isolados do Acre, a faculdade pública está presente, oferecendo cursos de graduação em diversas áreas – o Acre é o único estado do Brasil a oferecer cursos superiores a seus cidadãos na totalidade de seus municípios. Quanto ao fato das crianças de Jordão não conhecerem um chuchu ou que o quilo de tomate chegue a custar até R$ 7,00, o que precisa ser analisado é que, neste município, assim como em Marechal Taumaturgo ou em Santa Rosa, e outros municípios acrianos, boa parte da população é composta por indígenas das mais diversas etnias e não há, até que me provem em contrário, qualquer indicador que aponte o plantio de hortaliça como um traço da cultura desses povos.
Mas voltemos à questão da infância em Jordão, conforme mostrou a reportagem. A avaliação de que a vida naquele município será abreviada porque a criança vai crescer sem tomar banho de chuveiro, é coisa de quem, de fato, não conhece a alegria e a felicidade de um menino ou menina ao tomar banho de rio, principalmente exercitando o nado e os mergulhos de “facada”. E se essas crianças pertencerem a povos indígenas, como o é a grande maioria da população daquele município, é como, para nós, os brancos, a união do côncavo ao convexo, algo tão natural como carnaval e batucada, queijo e goiabada, feijoada e rede...

É claro que um urbanóide desses cuja vida vai passar seguindo um ritual ou como algo extraído de manual não pode entender, jamais, especificidades como a Amazônia. Só mesmo o desconhecimento poderiam alinhar, num mesmo gráfico, ainda que as situações sejam parecidas mas jamais iguais, municípios como Jordão, Tarauacá, na Amazônia, à tragédia da Traipu alagoana ou da pernambucana Manari. Quem vive a realidade do sertão nordestino, se conhecesse e pudesse, adoraria ser miserável na Amazônia, onde a água doce, o peixe, a caça e a extração de frutos da floresta ainda são abundantes. No nordeste brasileiro, ainda que queira lutar contra a desgraça, o sertanejo está condenado porque simplesmente não pode plantar, não pode criar uma galinha e não pode pescar porque simplesmente ali não há água. Se não há água, a vida é mesmo precária, uma situação bem diferente do que vivem os excluídos da Amazônia. Um miserável de Jordão, diante de um miserável do sertão nordestino – e longe de mim qualquer posicionamento xenófobo – é um felizardo. Alinhá-los na mesma escala é burrice.


É claro que muita coisa ainda precisa ser feita. É absurdo um litro de combustível em Jordão custar praticamente o dobro do que é praticado na Capital do Acre. Mas por que usar como parâmetro as cidades da Europa? Lá é que o combustível deveria ser mais caro que em qualquer outra parte do mundo. Eles não produzem combustíveis e ainda assim estão entre os que mais o consomem, responsáveis, mais que qualquer outro continente, pelos poluentes que tanto agridem o planeta. Logo teriam que pagar por isso, o que, na verdade, é assunto para outro debate.

O que se pretende aqui é discutir o IDH e seus critérios. O Índice foi criado pelo economista paquistanês Mahbub ul Hag (1934-1998) com a colaboração do economista Indiano Amartya Sem, ganhador do Prêmio Nobel em Economia em 1998, e logo açambarcado pela ONU (Organização das Nações Unidas), segundo o PNUD – Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (www.pnud.org.br/atlas). É aplicado atualmente em mais de 175 países e foi criado para oferecer contraponto ao PIB per capita, o índice que considera apenas a dimensão econômica de um país. O IDH parte do pressuposto segundo o qual, para analisar o avanço no desenvolvimento de uma população, devem ser considerados não apenas a economia, mas sim as características sociais, culturais e políticas que influenciam na qualidade de vida.

É aqui, a meu ver, que os critérios de avaliação precisam ser debatidos. Não se pode aplicar os mesmos índices para uma situação do sertão nordestino, que é única, para uma região como a Amazônia, diferente do restante do país e não raro diferente até mesmo entre si.

Puxar o debate para que os organismos internacionais e até as agências de desenvolvimento do nosso país, que seguem esses critérios, mudem seus conceitos, é o que deveriam fazer os membros da classe política do Acre, independente de partidos ou da posição no tablado do poder. O Governo, por seu turno, deveria utilizar seus técnicos, para mostrar que o Acre, se não é ainda o lugar ideal para se viver, está, felizmente, muito longe da situação de desgraça que humilham e envergonham a todos nós, como brasileiros.


Tião Maia

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

DENGUE EM ACRELÂNDIA

Em Acrelândia os órgãos responsáveis pelo combate ao mosquito transmissor da dengue realizaram um arrastão nos bairros da cidade orientando a população como deve ser feita a limpeza dos quintais.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

TROPEADA EM ACRELÂNDIA

Acrelândia é um município que tem na economia um forte aquecimento por meio da pecuária, lá os pecuaristas estão resgatando uma tradição antiga, que é a condução do gado por meio da tropeada. VEJA O VIDEO!